Rul
Notícia publicada em 08/04/2018 às 17:04 | Economia
Confúcio diz que ninguém segura o crescimento de Rondônia

 

 

*Por Nonato Cruz

 

O ex-governador Confúcio Moura deixou o Palácio Rio Madeira, nesta sexta-feira (06), emocionado após transmitir o cargo para Daniel Pereira, até então vice-governador. Depois de avaliar, em entrevista a jornalistas, que deixa o estado de Rondônia em melhores condições que as que recebeu em 2011, Confúcio afirmou, no discurso de despedida, que ninguém pode segurar o crescimento do estado.

 

Acompanhado da esposa Maria Alice, o ex-governador embarcou com destino ao município de Ariquemes, onde reside e deve descansar por um período não especificado.

 

A transmissão de cargo no Palácio Rio Madeira foi prestigiada por convidados especiais, como os ex-governadores Oswaldo Piana Filho e José de Abreu Bianco. No último ato antes de entregar a faixa governamental para Daniel Pereira, Confúcio Moura se emocionou e  interrompeu o discurso. Foi aplaudido demoradamente pelos presentes.

 

No ato da transmissão de posse, Confúcio anunciou que Conselho Superior de Estado, em que além dele têm assento os presidentes do Tribunal de Justiça, do Tribunal de Contas e o procurador chefe do Ministério Público, decidiu que é compromisso investir mais em tecnologia para gerar velocidade e eficácia nas decisões.

 

Esta medida, acrescentou, implicará em reduzir realização de novos concursos públicos, mas vai melhorar transparência e eficiência dos processos.

 

O ex-governador afirmou que a gestão de sete anos e três meses proporcionou “de mais alegrias que agonias”. Ele também admitiu que se sentiu honrado por tudo o que fez e deixou para as gerações futuras, “uma expectativa boa e positiva”.

 

Ao final do pronunciamento, utilizou uma frase do apóstolo Paulo na carta a Timóteo e que está no Novo Testamento. “Combati o bom combate, completei a corrida, guardei a fé.” Segundo o ex-governador, é esta fé que o motiva a mais uma vez a partir para um novo desafio. “Muito obrigado, Rondônia!”, concluiu.

 

Na entrevista que concedeu a jornalistas, Confúcio disse que o Brasil exige governantes responsáveis, trabalhadores e visionários. Afirmou que tem orgulho da construção de casas populares, cerca de 25 mil entregues, em parceria com governo federal, obras que resgataram a dignidade de famílias pobres, pois há mais de 20 anos não havia investimentos nesta área.

 

Sobre o período em que esteve à frente do governo, afirmou que o período ideal é de cinco anos, sem reeleição. É tempo suficiente, segundo ele, para conhecer bem a estrutura governamental e realizar metas estabelecidas.

 

Publicidade

Publicidade
RUL

CONTATO
E-mail: contatorul@gmail.com
Fone Redação: (69) 3423-7618
Comercial: (69) 9288-9018 • 9945-5358

 

Netmidia